Detalhe 30.10.2007

Na Volkswagen Caminhões e Ônibus, engenheiro é montador por uma semana

Engenheiros e técnicos da Volkswagen Caminhões e Ônibus deixam os escritórios e vão para a linha de montagem aprender a fabricar os produtos que desenham

Os 1.100 montadores da fábrica de caminhões e ônibus Volkswagen têm novos companheiros de trabalho. Duzentos engenheiros e cem técnicos irão passar uma semana cada um na linha de produção, aperfeiçoando na prática seu conhecimento de montagem dos caminões e onibus. Trocarão os escritórios, os computadores e os programas CAD por apertadeiras, bancadas de montagem e pistolas de pintura. Assim, descobrirão as dificuldades enfrentadas não só pelos montadores, mas por revendedores e principalmente pelos clientes finais. Aprendizado que não se consegue em universidades ou cursos técnicos – apenas com a prática.

A idéia foi inspirada num programa da matriz da Volkswagen em Wolfsburg, na Alemanha, e adaptada para a fábrica localizada em Resende, no Estado do Rio de Janeiro. Batizado de Engenheiro Online (num trocadilho com a palavra “linha”, referindo-se à linha de montagem), o programa quer formar profissionais que compreendam melhor as demandas do mercado. A surpresa pela chegada dos engenheiros ao chão de fábrica deu lugar a um ambiente de cooperação. Não há choques de cultura, porque a prioridade continua sendo a produção, sem deixar de lado a qualidade. E isso só é possível com trabalho em equipe.

“A vantagem é que, após uma semana, os engenheiros e os operadores têm uma série de idéias sobre como faciltar a produção, melhorar a produtividade e reduzir custo. Com isso todos ganham, e a distância entre o chão de fábrica e os escritórios acaba bastante reduzida”, diz Adilson Dezoto, Gerente de Projeto e Processos da Volkswagen Caminhões e Ônibus.

Os estágios na linha de produção começaram em agosto. Os dez primeiros engenheiros passam por mais de um posto de trabalho na linha de produção, que em Resende tem um processo inovador: em vez de empregados Volkswagen, há sete empresas encarregadas da montagem dos caminhões e ônibus. É o Consórcio Modular, que há quase cinco anos assegura à marca a liderança brasileira nas vendas de varejo dos caminhões com mais de cinco toneladas de peso bruto total.

Depoimentos

O engenheiro do Produto Rodrigo Siqueira Moreira trabalhou por uma semana na linha de montagem da Siemens VDO, responsável pela montagem final das cabines de caminhões na fábrica de Resende. “Já conhecia o processo de montagem das peças, mas a velocidade da linha de produção foi uma novidade. Foi muito bom participar desse projeto, pois assim podemos agilizar o processo de montagem conhecendo um pouco mais da rotina. Todos deveriam passar por essa experiência”, diz.

A engenheira Michelle Christina também teve a oportunidade de conhecer o trabalho dos montadores mais de perto: “O serviço não é fácil. Na linha de montagem, aprendi a dar mais valor a cada um desses profissionais que realizam na prática o serviço pensado na engenharia. Tinha uma visão mais voltada ao cliente, agora vejo também o esforço do montador. Foi uma ótima experiência”.

Os empregados diretamente envolvidos na produção também vêem benefícios. “Para a concretização do programa, cada engenheiro atuou em suas respectivas áreas de projeto, seja na cabine, no painel ou outras partes da montagem. A troca de idéias e o aprendizado têm sido intensas”, diz Claudimar de Andrade, supervisor de Produção da Siemens VDO.

A Diretoria da montadora estuda outras possibilidades de interação com as diferentes áreas da fábrica. “Uma das razões por não termos conflitos entre os diferentes grupos de trabalho na fábrica de Resende é justamente a existência do Consórcio Modular. Ao longo dos anos, empresas de diferentes origens aprenderam a confiar umas nas outras. Esse ambiente vem permitindo iniciativas como a que envolve os engenheiros da Volkswagen”, diz Roberto Cortes, presidente da Volkswagen Caminhões e Ônibus.